Pages - Menu

6 de abr de 2010

Berro



Ontem eu dormi de cabeça pra baixo, pra ver se acordava com o pé direito. Levantei com um viva como sinal de boa sorte, calcei minhas meias listradas e vesti uma blusa escandalosamente verde. Eu queria sentir o não eu, queria que todos me ouvissem berrar de boca fechada.

Naquele dia indefinido, que não chovia tão pouco fazia sol, éramos, eu, eu mesma e eles dois. Éramos os 4 assexuados, em sintonia com aquele céu indecoroso. Com litros de alegria, clamávamos besteiras no topo que não era o mais alto do mundo, mas de lá voávamos alto... tão alto, que como Deus, víamos tudo.

10 comentários:

Alice Brasil disse...

Oi, Ilana!

Eu tenho que cofessar os seus textos são ótimos, muito bem escritos.

Adoro seu estilo, parágrafos curtos, no entato com uma poesia tão densa.

Ah, invejei quando disse ter voado tão alto. Qual o segredo? Também quero voar.

P.S.: A foto tb está linda.

Beijos!!!
Meg Macedo.

Priscila Rôde disse...

Preciso tocar o céu um pouco!

Leve o seu texto e lindo!

Silvio Crisóstomo disse...

Você é a de meia rosa?
Abs

Allyne Araújo disse...

muito profundo Ilana... calmo, mas meio triste.. triste, mas tras esperança, leve, mas, ao mesmo tempo, cheio de significados.. e por ultimo lindo! adorei!! beijao!

Jaquelyne A. Costa disse...

É tenho que concordar com Meg!
A poesia contida em seus textos é sensacional! Gosto de lhe ler porque me vejo nas palavras e omissões.

Quem dera voar dessa maneira, Ilana!
Muita felicidade pra você, moça!

Beijos

Ilana disse...

Meg, o segredo é.... bem...nesse caso foi querer fugir do tédio, mas geralmente sempre voo por ai ( de graça, mesmo) =p. Fico feliz que você goste dos textos, no fundo eu sei que vc tb "avoa" bastante huahuauaua. Bjuwwww

Priscila, no dia eu tava leve, o texto também é para voar.
Abrs, moça.

Allyne, valeu pelas visitas frequentes, sempre fico feliz quando as pessoas se identificam e acabam por gostar dos textos. Na verdade, mesmo quando não agrado, gosto de ver os comentários, sempre vale o retorno.
Abrs

Silvio, para a minha vergonha sou eu sim. =p
abrs


Jaque, sumida e agora jornalista por formação. De volta ao mundo bloguístico, ein? Vi que vc tem uns posts novos, quando o meu namorado parar de roubar o meu modem vou te ler hauhauahuaa. Você fala da poesia contida nos meus textos, mas não tem poetiza melhor naquela faculdade. O que você escreve sim, é sensacional.
bjuwww

Ilana disse...

Pena que só foi eu, dudu e nossa amiga imaginária, dayse ahuuahuaua

Daysiane Figueiredo disse...

SUPER ADOREI!!! kkkkkkkk Senti tudo que foi vivido, "podes crêr". =D

Bjooo, sis!

DUDU disse...

eu conheço aqueles 4! lembro-os deles ainda quando eram quatro fetos dividindo a barriga! 2 pares iguais! Chutando-se por espaço! elas, mais apressadas, iam na frente. os dois, sempre calmos, a acompanhavam e resolveram sair tbm! Enfim, conheço todos eles muito bem, sei por onde andaram, as vezes por pedras, outras em cascas de ovos e algumas em seda, o terreno sempre muda. Eles também mudam, evoluem, sei como eles pensam e imagino por onde eles andam agora, mas nao faço a mínima idéia de onde eles irão nos levar!

Ilana disse...

Adorei, dudu ahahahauaua