Pages - Menu

25 de ago de 2010

Eu entro nesse barco


"Eu entro nesse barco, é só me pedir. Nem precisa de jeito certo, só dizer e eu vou (...). Eu abandono tudo, história, passado, cicatrizes. Mudo o visual, deixo o cabelo crescer, começo a comer direito, vou todo dia pra academia Mas você tem que remar também. Eu desisto fácil, você sabe. E talvez essa viagem não dure mais do que alguns minutos, mas eu entro nesse barco, é só me pedir. Perco o medo de dirigir só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia. Mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo. Mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir. Mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto. Eu te ensino a nadar, juro! Mas você tem que me prometer que vai tentar, que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças! Você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena. Que por você vale a pena. Que por nós vale a pena. Remar.Re-amar. Amar."

Caio Fernando Abreu

4 comentários:

Priscila Rôde disse...

AMO esse texto do Caio!!! Perfeito!

Irislane Pacheco disse...

Tiiio Caioo realmente é FODÃOO! E já q fui eu quem indicou o poema, que diga-se de passagem, pode não ter sido feito pela dona do blog, mas com certeza foi feito para ela, pq Caio consegui ler nossa alma. =)

Muiitoo orgulhosa dessa minha irmã fotógrafa-poeta ou seria poeta-fotógrafa?

Alice Brasil disse...

"Remar.Re-amar. Amar..". O melhor trecho, mas é para isso que servem os poetas para reinventar as palavras de dá significado aos sentimentos.
Re-amar. Remar. Amar... porque só assim a vida tem graça.

Beijos!!!
Meg Macedo.

A.S. disse...

Ilana...

Nada é mais fascinante que navegar sem rumo, acompanhando o sensual bailado das ondas... mas o barco só avança se houver cumplicidade entre os remadores!


BjO´ss
AL