Pages - Menu

23 de set de 2009

Sem vento

© Imagem da internet


O calor encolheu o meu cérebro, enxugou a minha roupa, e queimou o meu bom senso. Quantos graus acima para chegar ao inferno? O céu está azul, o rio é anil, a serpente corre, rasteja. Eu aqui, impregnada de suor, imponho a minha música, imponho aquela música, grito ao som da música.



8 comentários:

Christi... disse...

Lindo..forte..amei a intensidade

bjs,

Chris

Jaquelyne A. Costa disse...

Texto e imagem fortíssimos!

também estou a gritar ao som do sol na minha pele...

Beijos, garota!

Ilana disse...

É Jaque, estamos na mesma terra, aqui brota calor. Na segunda quase desintegrei.

Eloisa disse...

Que maneira forte de expressar o calor! hoho

Germano Xavier disse...

O inferno é aqui.
Logo logo o frio da Chapada.

Mandei o livro por Osete, Ilana. Não sei se ele o entregou a ti.

Carinho.
Sigamos...

Daysiane Figueiredo disse...

uahauhau Ótimo texto irmã... Como todos os outros! ADOREI... Só vc mesma pra fazer o 'calor' ficar bonito! ;)

Bjooo e adoro suas escritas!

Irislane Pacheco disse...

Cheguei a achar que o inferno tava passando uns dias por aqui.. aff, que calor é esse!!!
Na menopausa terei que ir para a Antártida!! o.O

Belo texto, irmãã!!

Ilana disse...

putzz, falem ñ.. tá insuportável.. hauauha
Iris, na menopausa acho que vou te fazr companhia aaauauahau